topo
topo
topo
Domingo, 24 de Setembro de 2017.
portaldigidesign
menu principal
No Site Na Web
slogan
 
:: Home
:: Fórum
:: Newsletter
:: Na Mídia
:: Recomende-nos
:: Nossos banners
:: Rss Feeds
:: Contato
 
menu design
:: Flash
:: Dreamweaver
:: Fireworks
:: Swishmax
:: Photoshop
:: Corel Draw
:: Ícones
:: Tabela de cores
:: Layouts prontos
 
menu programação
 
:: PHP
:: Asp/.Net
:: Javascript
:: CGI
:: Cold Fusion
 
menu serviços
 
:: Geradores online
:: Indique o site
:: Usuários online
:: Contador
 
menu sites destaque
 
:: Indique seu site
:: Sites destaque
 
menu artigos
 
:: Web Marketing
:: Web acessibilidade
 
 
 

· Artigos » Web Marketing

 

A webdesigner e o vendedor  English Version

Por: Marcelo Britto
Publicado em: 26.01.2006
Visualizações: 14129


rec6 Linkto delicious google yahoo live Twiter

Roberta era uma excelente webdesigner, sabia tudo de Photoshop, dominava Fireworks, conhecia uma centena de truques do Flash e era um verdadeiro ás de ouros no Dreamweaver. Sua única dificuldade era na hora de vender o seu trabalho.

Fernando tinha bons conhecimentos de informática, se dava muito bem com o Word, Excel e PowerPoint, comunicava-se muito bem, era um ótimo vendedor e sempre superava suas metas. Os designers que trabalhavam com ele é que não eram muito bons.

Uma empresa do setor de telecomunicações solicitou aos dois, um orçamento para fazer a reformulação do seu portal na internet. Qual dos dois você acha que teve êxito: a excelente designer ou o ótimo vendedor?

Para tristeza de nós designers, a maioria das empresas não é apenas a qualidade do design que faz a diferença na hora de fechar um negócio. Esta é importante, mas existem outros fatores que precisamos considerar.

Forma de apresentação: quando vamos apresentar uma proposta, ela deve ser clara, direta e sobretudo objetiva. Quando a proposta é boa, não é necessário justificá-la, o próprio cliente tem esta percepção.

Armadilhas do preço: os designers menos experientes costumam colocar preços muitos baixos no seu trabalho, o que acaba desqualificando a proposta. Para evitar estas armadilhas, dê opções ao cliente e construa o valor da proposta com a participação dele.

Vença as objeções: o cliente raramente quer saber de especificações técnicas ou de frases esquisitas inventadas pelo designer. Ele quer motivos para comprar e aprovar sua proposta. Faça perguntas ao invés de dar explicações.

Descubra o ponto fraco: normalmente perguntamos: “o que achou da nossa proposta?”. A pergunta deveria ser: “o que mais gostou em nossa proposta?”. Ao identificarmos o ponto que ele mais gostou, podemos usar isto a nosso favor e incentivar o fechamento. Se ele responder “tudo”, então considere o negócio como fechado.

Feche o negócio: muitos profissionais têm medo de fechar o negócio e esperam que o cliente diga “sim”. Às vezes o cliente pode estar esperando por você. É nessa hora que podemos arriscar um “podemos começar a trabalhar?”.

Este é apenas um exemplo de que saber vender o nosso trabalho também é muito importante para o nosso sucesso, especialmente se trabalhamos como free-lancer

Um abraço e até a próxima!



Contatos e troca de idéias:


contato@marcelobritto.com.br


Marcelo Britto é designer, consultor em projetos de internet, especialista em marketing digital, instrutor de webdesign e ministra treinamentos e palestras sobre webmarketing..



Versão para impressão  Twitter



 

  Comentários:

Nome: Digite seu nome.Digite seu nome.
Email: Campo Obrigatório. Formato Inválido.
Comentário:   Campo Obrigatório.Digite ao menos 8 caracteres.Até 100 caracteres.
   

   rss

 
hospedagem Host Brasil
Dreamweaver
Fireworks
Flash
SwishMax
Corel Draw
Photoshop
Photoshop
PHP
Asp/.Net
Web Marketing
publicidade
   

 

rodape rss Siga-me no Twitter